“Sem Comparação”- Sim, existem aqueles que demonstram competência.

3 de Abril de 2012

Enquanto uns se dignam em ir à televisão se declarar incompetentes, outros;

“Agente Garantidor”- E a Distribuição de “Carteirinhas”

2 de Abril de 2012

É público e notório entre os praticantes de parapente, que uma associação esportiva nacional, sediada lá a onde ocorreu mais um homicídio com voo duplo (RJ), simplesmente distribui, Brasil a fora, sem qualquer critério, “carteirinhas” de voos duplos e instrutores. Acontece que estas “carteirinhas” colocam em risco a vida e a saúde de quem, inocentemente, acredita que elas atestam alguma coisa. Muitas vezes, até quem nem possui condição  técnica para sequer voar sozinho, ostenta “carteirinha” de voo duplo e instrutor, transformando em vítimas as pessoas interessadas em praticar ou participar da atividade esportiva com parapentes. Se é verdade que uma imagem vale por mil palavras, o site deles não deixa margem à dúvida:

 O Código Penal, no artigo 13, parágrafo segundo, estabelece o dever jurídico de evitar o dano àqueles quem (c) “com seu comportamento anterior, criou o risco da ocorrência do resultado”. Parece bastante óbvio que aquele que, sem critério,  se dispõe a fornecer habilitação esportiva em atividade esportiva de risco, está facilitando a ocorrência de lesão corporal (leve/grave) e homicídio. É o que a doutrinha chama de “Agente Garantidor”, isto é, todo aquele que carrega um dever de agir. Deve, contudo, o garante proceder de maneira ativa a fim de evitar o injusto (obrigação de salvar). Leia o resto deste artigo »

“O Pilar que Bambeia” -O Princípio da Autonomia da Administração Esportiva.

31 de Março de 2012

Este é um texto técnico destinado àqueles que desejam se aprofundar no Direito Desportivo.

O PILAR QUE BAMBEIA: “O PRINCÍPIO CONSTITUCIONAL DA AUTONOMIA DA ADMINISTRAÇÃO ESPORTIVA”.Neste trabalho irei abordar aspectos do “Princípio Constitucional da Autonomia da Administração Esportiva” distantes dos que, geralmente, envolvem os debates sobre o tema. A autonomia da administração esportiva é sempre debatida sob o enfoque dado pelo futebol. Em resumo: se os seus Clubes estão ou não submetidos aos contornos disciplinados pelo Código Civil, quando regula a forma e funcionamento das associações e empresas. Mas outras violações gravíssimas ao citado “princípio”, são também suportadas por muitas modalidades. Infelizmente a monocultura futebolística dos debates esportivos abafa situações absurdas, vivenciadas por outros segmentos esportivos, na maioria das vezes provocadas por administradores e políticas públicos. Princípio na lição do mestre Celso Antonio Bandeira de Mello “…é, por definição, mandamento nuclear de um sistema, verdadeiro alicerce dele, disposição fundamental que se irradia sobre diferentes normas compondo-lhes o espírito e servindo de critério para sua exata compreensão e inteligência, exatamente por definir a lógica e a racionalidade do sistema normativo, no que lhe confere a tônica e lhe dá sentido harmônico. É o conhecimento dos princípios que preside a intelecção das diferentes partes componentes do todo unitário que há por nome sistema jurídico positivo”[1]. E citando novamente o insigne mestre“…violar um princípio é muito mais grave que transgredir uma norma qualquer. Leia o resto deste artigo »

“MUITO OBRIGADO”- Sônia Abrão

28 de Março de 2012

ASSISTA PELO LINK DO PROGRAMA:

http://www.redetv.com.br/atardeesua/

E EM BREVE ENCONTRE AQUI A GRAVAÇÃO DA ENTREVISTA.

PARA CONTATO COMENTE QUALQUER POST -ASSIM QUE POSSÍVEL RETORNAREI.

TRATANDO DE MAIS UMA MORTE DESNECESSÁRIA

Protegido: “O DAC”- E as Declarações do “Dr.”Cláudio W.Vianna.

25 de Março de 2012

Este conteúdo está protegido com uma palavra-passe. Para o visualizar, por favor, insira em baixo a sua palavra-passe:

PICARETAS- Nunca antes na história deste país tivemos tantos e em todas as áreas.

24 de Agosto de 2011

Corrupção atrás de corrupção no país com a maior carga tributária do mundo!
A Operação Voucher é para tirar a dúvida de qualquer um ou será que é
preciso ser mais específico?

Se toca Brasil!

Se toca meio esportivo de aventura!

Farsas para movimentar milhões é a especialidade dos bandidos
intelectuais que cercam as “politicagens públicas explícitas”.

Brasil- país de trouxas e de “expertos com expertises”.

MEU DEUS QUE NOJO!

 

Esportista de Aventura – È chegada a Hora !

25 de Julho de 2010

Chegou a hora dos esportistas de aventura dar um basta nas distorções protagonizadas pelo Minitério do Turismo. As principais entidades esportivas do segmento defenderam no Senado um Projeto de Lei adequado ao segmento, que agora está sofrendo 03 emendas na Câmara dos Deputados, cuja intenção é  transformar em Lei os infudados argumentos que orientam a atual “politicagem” do Ministério do Turismo para os esportes de aventura.Estas emendas estão sendo defendidas pela entidade ligada ao turismo e os esportistas devem defender a realidade quanto se trata de esporte de aventura: suas técnicas, equipamentos e  formação pessoal são esportivas, pouco importando que estejam sendo comercializadas. Sob o infudado argumento de que quando estamos conduzindo terceiros elas se modificam é que o Mtur construiu a custo de milhões um sistema de administração para os nossos esportes. Alías, até hoje o meio não tem qualquer conhecimento a onde este dinheiro foi aplicado, sendo que, pelo menos R$ 1.500.000,00 foram para consultorias. Quem, por quanto e para o quê são perguntas sem respostas. Mas acima de tudo não podemos permitir que empresas certificadoras do sistema ABNT, estranhas ao nosso meio esportivo, tenham o poder de certificar os nossos praticantes. Irreal, ilegal e perigoso esta distorção que agora querem transformar em Lei. Ofereço a todos um texto de manifesto e os e-mails dos Deputados da Comissão de Turismo e Desporto que irão decidir se a distorção defendida pela ABETA será transformada em Lei. Não deixe de se manifestar ! Leia o resto deste artigo »

Esporte de Aventura – Audiência -Câmara dos Deputados.

18 de Julho de 2010

No dia 30 de junho, foi realizada audiência pública, na “Comissão de Turismo e Desporto” da “Câmara dos Deputados” para tratar de diversas questões ligadas aos esportes de aventura. A audiência foi presidida pelo Deputado Walter Feldman e foi convocada, a meu pedido, pelo Deputado Silvio Torres.Estiveram  presentes os Presidentes da Confederação Brasileira de  Montanhismo e Escalada, da Confederação Brasileira de Orientação, do Conselho Federal de Educação Físicas e entidades ligadas ao turismo.
Eu representei a Associação Brasileira de Parapente – ABP entidade que fundei e presidi até o ano passado.  Mais uma vez defendi o óbvio no que diz respeito à  formação, técnicas e equipamentos destinados à comercialização das atividades esportivas de aventura: que elas são esportivas. É sabido que certas burocracias estatais criam a sua própria realidade e a vivenciam sem grande preocupação se elas guardam ou não correspondência com a realidade. Infelizmente, os esportes de aventura vem sendo alvo deste tipo de “coisa“, a partir da “política” deste “governo”, Leia o resto deste artigo »

16a Clínica da ABP em São José dos Campos.

8 de Julho de 2010

No final de semana  de 2 a 4 julho de 2010  foi realizada a 16.a Clínica de Pilotos e Instrutores ABP na cidade de São José dos Campos – SP . O local escolhido foi o Parque Tecnológico de São José dos Campos que fica a beira da Rodovia Presidente dutra.
Foto  www.fernandopradi.com.br Um local mais do que adequado para  este evento voltado ao aperfeiçoamento dos nossos praticantes, tanto instrutores  quanto atletas em geral. Esta foi a 16a versão deste que tem sido o pilar do aprimoramento do parapente brasileiro. Com cerca de 60 participantes, divididos nos  módulos para praticante e instrutor, esportistas de SP, MG, RJ, BA, PR, SC, MT, MS, RO e ES tiveram a oportunidade de interagir com grandes nomes do esporte, profissionais e especialistas de diversas áreas ligadas ao parapente. Veja as fotos do evento Leia o resto deste artigo »

III Conferência Nacional do Esporte. 4-

9 de Junho de 2010

Mais fotos da III Conferência Nacional do Esporte.

Assembléia Final com mais de 1200 participantes.

Eu e o Wandão de Montes Claros- Instrutor e Gestor da ABP.

Com uma "Delegata" de Manaus.

III Conferência Nacional do Esporte. 3-

9 de Junho de 2010

Outro ponto que não poderia ter deixado passar na III Conferência Nacional do Esporte foi a questão da ilegal “política” do Ministério do Turismo,que “transformou” as atividades esportivas de aventura em “atividade turística’. Foi aprovada pela III Conferência Nacional do Esporte “Moção de Repúdio” contra o Ministério do Turismo que criou um sistema de administração esportivo para os esportes de aventura. Havendo “interesse” tudo acontece no Brasil, inclusive atividade turística que é uma espécie de atividade econômica, ser transformada em atividade física. E o tipo de “interesse” a que eu me refiro pode ser avaliado nos “post’s” abaixo que tratam da decisão do TCU sobre os convênios da ABETA. A III Conferência Nacional do Esporte expressou seu repúdio ao o que o Ministério do Turismo vem fazendo no segmento esportivo de aventura !  Como infelizmente,no Brasil,  o que “interessa” é o “interesse”, o fato de 1.200 Delegados representando 200.000 pessoas do meio esportivo  terem expressado o seu repúdio ao Mtur não terá repercussão alguma. O fato é que este é um país que  nunca será passado a limpo !

Com o Mestre Alberto Puga, uma das grandes mentes do Direito Desportivo Brasileiro.

III Conferência Nacional do Esporte. 2-

9 de Junho de 2010

Lei do Incentivo ao Esporte com 04% de repasse e possibilidade de sua contabilização como despesas operacionais, desonerando as empresas, assim como acontece na Cultura, foi uma das minhas propostas que integram o documento produzido pela III Conferência Nacional do Esporte. Um dos maiores obstáculos que enfrentamos dentro das empresas para conseguir apoio os projetos incentivados pela Lei de Incentivo ao Esporte é o fato de que elas não podem contabilizar o montante repassado como despesa operacional. Assim, o valor repassado  a título de incentivo impacta negativamente no resultado das empresas, causando desestimulo em patrocinar os projetos incentivados para o Esporte. O que propus foi nada mais nada menos que a Lei de Incentivo ao Esporte tenha os mesmos benefícios que a Legislação correlara concede à Cultura. Interessante que, a nível nacional, este assunto não havia sido levantado em todas as suas etapas, talves por se tratar de assunto do âmbito da Contabilidade Tributária, assunto que tenho algum domínio. Esta foi a minha principal contribuição para a III Conferência Nacional do Esporte.

Eu e o Presidente do Conselho Federal de Educação Física Jorge Steinhilber, pessoa que nunca negou apoio aos meus pleitos referentes à "politica" do Ministério do Turismo contra o segmento esportivo de aventura.

III Conferência Nacional do Esporte. 1-

8 de Junho de 2010

De 03 a 06 de junho aconteceu em Brasília a III Conferência Nacional do Esporte e como nas outras versões tive a oportunidade de ser Delegado. Neste Posts apresentarei algumas fotos do evento e nos próximos falarei um pouco das minhas impressões sobre este importante evento e das minhas propostas que foram aprovadas. Antes da etapa final de Brasília a  III Conferência Nacional do Esporte foram realizadas 445 conferências municipais e 349 regionais, envolvendo no processo 3.112 municípios, envolvendo mais de 200 mil pessoas. Na etapa final  contou com a participação de 1.200 delegados, entres eles este que vos escreve.

Eu eu o Ministro do Esporte Orlando Silva na Abertura da III Conferência.

No Rádio !

10 de Abril de 2010

Todas as Sextas das 18:00 às 19:00 Participo do Programa “O Divã e a Sua Saúde” do Dr. “Haroldo Lopes”.Rádio Trianon AM 740 -SP.
Tive a honra de ser convidado para participar do Staf fixo do programa de Rádio “O Divã e a Sua Saúde” do Dr. “Haroldo Lopes“, psicanalista conhecido por suas participações nos pragramas da “Sonia Abrão”, “Luciana Gimenez”, entre outros.Este é um programa muito legal, toda semana tem um entrevistado novo, notícias e participações de profissionais de diversas áreas da saúde, tratando de temas de interesse da família. Em breve colocarei aqui os arquivos dos programas Leia o resto deste artigo »

“Convite”- Aceito!

20 de Dezembro de 2009

Recentemente, tive a honra de ser convidado para participar de uma “Comissão de Estudos”, para a implementação de um “Tribunal de Justiça Desportivo”, destinado a atender diversas modalidades esportivas.

O Convite foi feito por membro do “Conselho Nacional do Esporte”, o qual atendi prontamente. Diversas modalidades têm dificuldade para utilizar a “Justiça Desportiva”, por causa da complexidade da constituição dos seus órgãos ou mesmo total desconhecimento sobre o assunto. Visando superar este problema é que está sendo constituída esta comissão, para desenvolver os meios necessários para a criação de um Tribunal de Justiça Esportiva, que abarcará diversas modalidades. O assunto tem sido discutido no âmbito do “Conselho Nacional do Esporte” e a intenção é que em 2010, com apoio do “Ministério do Esporte” e do “Ministro do Esporte”, que também é Presidente do “Conselho Nacional do Esporte”, Leia o resto deste artigo »

“Parabéns”- Aos Senadores Efrain Morais e Raimundo Colombo.

5 de Dezembro de 2009

Em Julho deste ano, tive a iniciativa particular de encaminhar aos Senadores parecer requerendo a modificação de um Projeto de Lei para Esportes de Aventura.

O louvável interesse dos Senadores em legislar sobre o assunto merecia aprimoramentos, por conta da inadequabilidade do texto original, o que me incentivou a encaminhar parecer sustentando modificações no Projeto de Lei. A minha iniciativa pessoal contou com apoio da Confederação Brasileira de Montanhismo e Escalada; Associação Brasileira de Parapente; Confederação Brasileira de Pesca Desportiva e Desporto Subaquático, Confederação Brasileira de Orientação. O bom senso prevaleceu e Leia o resto deste artigo »

“CNE e COB”-Suas competências legais.

4 de Dezembro de 2009

A Lei 9.615/98 de maneira muito clara estabele quais são as competências do Conselho Nacional do Esporte – CNE  e do Comitê Olímpico Brasileiro – COB.

O artigo 11 da Lei 9.615/98 estabelece o que cabe ao Conselho Nacional do Esporte e o seu inciso  VI declara que é de sua competência …”aprovar os Códigos de Justiça Desportiva e suas alterações.  Em dois “post’s” passados tratei do “Codigo Brasileiro de Justiça Desportiva”, que o CNE adotou para todas as modalidades esportivas, portanto,  existe apenas um Código de Justiça Desportiva no Brasil.Ao COB a Lei nunca atribuiu competência para aprovar Código de Justiça Desportiva, nem para as modalidades Olímpicas ! Leia o resto deste artigo »

“Liga”-O que é isso?

4 de Dezembro de 2009

Este é mais um daqueles assuntos técnicos, que muitas vezes tem seu sentido distorcido pelo uso indiscriminado do termo “Liga”, quando se trata de esporte.

Na legislação esportiva brasileira “Liga”  é o termo técnico que designa apenas pessoas jurídicas, constituídas por entidades de prática esportiva, visando a produção de competições independentes do calendário da Entidade Nacional, a qual estão vinculadas. Existem também as ligas internacionais, que vinculam Entidades Nacionais de diversos países para fazerem seu próprio circuito de competição, mas estas, evidentemente, não são regulamentadas pela legislação esportiva brasileira. No Brasil, nos termos da Lei Geral do Desporto Brasileiro,  “Liga” Leia o resto deste artigo »

“Código Brasileiro de Justiça Desportiva”-Este Grande Desconhecido.

28 de Novembro de 2009

Em 2003, após trabalho de uma Comissão Especial, foi aprovado pelo Conselho Nacional do Esporte, o Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que unifica e consolida a Organização da Justiça Desportiva, o Processo Desportivo e as Sanções para todas as modalidades esportivas no Brasil.

Este “post” se relaciona diretamente com um anterior com o título “Direito Esportivo não é Exclusividade do Futebol”. Tem muita gente que não tem a menor idéia de que existe um Código de Justiça Desportiva que disciplina todos os atos para o julgamento das infrações esportivas (disciplinares e de competição). Alguns incorrem no erro de “achar” que ainda existe a possibilidade de cada modalidade adotar o seu próprio Código. Esta possibilidade realmente existiu até 2003, com a adoção pelo CNE de um Código padronizado para todas as modalidades. Inclusive, em 2000, Leia o resto deste artigo »

“Homenagem”- A Cláudio W. Vianna.

23 de Novembro de 2009

Esta é uma personalidade muito pouco conhecida entre praticantes de esportes aéreos e que faço questão de prestar as minhas homenagens. Quem conhece o “Dr. Claudio”, como é assim que ele é chamado na ABP, sabe muito bem que figura maravilhosa é este senhor.
Pertencente a segunda geração de aviadores,seu pai foi contemporâneo do Santos Dumont. Nasceu e cresceu dentro da aviação, sempre ligado à administração do Aeroclube do Brasil, este Sr. com os seus mais de 80 anos e grande lucidez, é um ícone desconhecido em nosso Brasil. Em próximo “post” falarei um pouco mais sobre a perseguição que ele sofreu por parte do extinto Departamento de Aviação Civil. Abaixo seguem 03 vídeos com a sua participação, sendo que no video final ele tece as suas considerações, fechando o assunto com a sua forma peculiar e requintada de se expressar, que conheço muitas poucas pessoas com capacidade de fazê-la. Ou melhor, nenhuma !.Assista os 03 vídeos é uma verdadeira lição ! Leia o resto deste artigo »

“Equívoco”-Muito comum.

18 de Novembro de 2009

Equivocadamente, resiste no tempo a idéia de que uma “Confederação” é hirarquicamente superior a uma “Associação” por determinação legal ou então a de que entidade de administração esportiva estadual tem que se chamar “Federação” ou ainda que existe uma forma de organização esportiva pré-estabelecida em lei especificamente para entidades esportivas.Este “post” se relaciona com aquele em que tratei sobre o “Princípio da Autonomia da Administração Esportiva” e o sobre o Direito Desportivo não ser exclusivo do Futebol. Como dito naqueles “post’s”, durante muitos anos vigeu uma legislação que concedia ao Estado uma atuação absolutamente intervencionista em assuntos esportivos.Mas depois da Constituição Federal de 1988 tudo mudou, mas Leia o resto deste artigo »

“Impossibilidade”- De Órgãos Estatais Administrar Esporte.

7 de Novembro de 2009

Depois da Constituição Federal de 1988 não existe a menor possibilidade de “Órgãos Estatais” ou os seus funcionários, ditarem normas e regras de prática desportiva.Direito Ao “Estado” a Constituição Federal consignou o dever de fomentar as práticas esportivas, respeitando a “autonomia da administração esportiva”. Este “post” complementa o que tratei do “Princípio Constitucional da Autonomia da Administração Esportiva” e que se encontra logo abaixo. Como exemplo de atuação ilegal de Órgão Estatal cito a do antigo Departamento de Aerodesporto do DAC,pródigo em Leia o resto deste artigo »

“ABVL”-Sua Sentença e os Vôos Duplos.

2 de Novembro de 2009

Uma constante de certos grupos é o apelo a distorções como forma de se obter apoio. É incrível, mas ao invés de defender os direitos dos praticantes, há quem obtem apoio fazendo justamente o contrário. Neste 6631contexto é que se insere mais uma bobagem que são osVôos Duplos Instrucionais“,que não passam de mera simulação do que na verdade acontece e como a sentença que a ABVL sofreu demonstra é irrelevante se o vôo duplo está sendo realizado a título de lazer ou de instrução.Neste trecho os Desembagadores que julgaram a ABVL deixam isto muito claro: Leia o resto deste artigo »

“ABVL”-Sua Sentença- Indenização e Convênios.

29 de Outubro de 2009

Veja parte do voto de outro Desembargador que sentenciou o caso que envolve a ABVL e a AVLRJ.
sentença ABVL…”O supracitado decisum julgou improcedente o pedido, em relação à União Federal e ao IBAMA, condenando os Autores ao pagamento de honorários advocatícios a esses entes, fixados em 10% sobre o valor da causa para cada qual, e, procedente em parte, o pedido, para condenar a Associação Brasileira de Voo Livre e a Associação de Voo Livre do Rio de Janeiro, à obrigação solidária de pagarem aos Autores, a título de indenização por danos materiais, a quantia de R$ 2.345,12 (dois mil, trezentos e quarenta e cinco reais e doze centavos) e, a título de indenização por danos morais, a quantia de R$ 200.000,00 (duzentos mil reais), Leia o resto deste artigo »

“ABVL”- A Sua Sentença e os Convênios Com Poderes Públicos.

27 de Outubro de 2009

Em recente decisão, o Tribunal Regional Federal da 2a Região decidiu que no caso do acidente fatal envolvendo uma Asa Delta em péssimo estado de conservação no Rio de Janeiro, resta provada a responsabilidade da ABVL e AVLRJ, estando isentos o IBAMA e a União.Veja este trecho de um dos Desembargadores que julgaram o caso:
condenação“Observe-se que não decorreu de quaisquer das hipóteses acima ventiladas, inseridas nas atribuições administrativas do Ibama e da União Federal. Exemplificativamente, não decorreu de acidente no acesso à rampa de saltos, na Pedra Bonita, que fica localizada dentro de parque florestal fiscalizado pelo Ibama. Não decorreu em razão de queda de vegetação, deslizamento de terra ou pedra na floresta. Não decorreu em razão de falha no sistema de controle do tráfego aéreo de aeronaves.
Em outras palavras, Leia o resto deste artigo »

“Convênios”- Do Poder Público com Entidades Esportivas.

21 de Outubro de 2009

Muitas distorções foram e continuam sendo propagadas pela intervenção do “Turismo” nos esportes de aventura. Elas não são gratuitas, sua finalidade é fragilizar ao máximo o meio esportivo. Entre as muitas coisas sem fundamento que foram e são ditas é que haveria “falta” de “legislação específica” para a questão dos esportes de aventura, por isso foram “legislar” “na ABNT”, a custo de milhões, é claro.Paisagem Aventura Parques NacionaisÉ como se não existisse Código Civil, Penal, do Consumidor e Leis Esportivas no país. É como se estas legislações não pudessm ser interpretas em conjunto. Mas se isto fosse feito como e aonde ficariam os milhões drenados ? Mas voltando ao tema central deste “post” onde tratarei da adequabilidade dos órgãos Públicos firmarem acordos com entidades esportivas do segmento de aventura. Leia o resto deste artigo »

“ABETA”-Presença Nas Audiências sobre a COPA e Olímpiada.

15 de Outubro de 2009

Certamente as audiências na Câmara dos Deputados são públicas, mas o Ministro do Turismo registrar a presença da ABETA, numa audiência de ontem (14/10/09) que estava trantando de esporte, é sintomático.Eles também estiveram na do Ministro do Esporte.É preciso que o meio esportivo perceba a distorção que é uma associação de comerciantes de atividades esportivas criar normas de cunho esportivo em nossas interferenciamodalidades, drenando milhões em recursos, que teriam que ter sido destinados ao aparelhamento das entidades esportivas do segmento. Primeiro fizeram normas esportivas,lembrando que as deles são as “oficias” e as das entidades não servem para nada, segundo os seus argumentos que justificaram milhões para a criação das normas esportivas do “turismo”. E em seguida que tal passar a “apoiar” competições e eventos “esportivos” que “eles” entendam como “turísticos”?ACORDA GALERA!! Leia o resto deste artigo »

“ABETA”- O que não pode acontecer.

11 de Outubro de 2009

Pontos que não podem passar despercebidos pelos autênticos praticantes de esportes de aventura.O primeiro deles já foi dito várias vezes neste Blog: a ABETA não é orgão Estatal e muito menos “Secretaria Nacional de Esportes de Aventura”.E o próximo que é muito importante ficar claro é que o ideal para a ABETA seria absorver dentro da sua estrutura as entidades nacionais de administração das modalidades esportivas de aventura.2009_02_img0001Com isto a ABETA teria, ao mesmo tempo, o aval do segmento esportivo e o total domínio sobre ele que ficaria refém da sua “política”. O que sem dúvida justificaria drenar milhões e mais milhões além dos 15 já drenados. Nada contra, se não fossem as ressalvas feitas pelo TCU e que grande parte disto tudo se refere a questões esportivas e não “turisticas”. Está evidente que as entidades esportivas foram deixadas a própria sorte. Neste quadro sucumbir diante da “força do dinheiro” despejado na “ABETA” e a sua “propaganda” é muito fácil e previsível.Os “expertos”de plantão sabem disto.Quinze milhões de segundos equivalem a 173,55 dias ou 5,78 meses, para se ter uma idéia de proporção.A fragilidade Leia o resto deste artigo »

“Acima”- Do Normal.

11 de Outubro de 2009

A imagem dispensa palvra. Não deixe de ver.

“É o Fim da Picada”-Para Ler e Pensar.

9 de Outubro de 2009

Nos últimos 07 anos o COB recebeu R$ 509.000.000,00 e a ABETA nos 05 últimos anos recebeu R$ 15.000.000,00.Entre 2004 e 2008 nos jogos Olímpicos o Brasil teve a seguinte colocação:

livro Jeca Tatu*EDIÇÃO -OURO- -PRATA- -BRONZE- -POSIÇÃO
Atenas 2004 -5- -2- -3- -16º-
Pequim 2008 -3- -4- -8- -23º-

Quase no mesmo período a ABETA recebeu R$ 15.000.000,00 para criar um sistema de administração esportivo paralelo, sendo que isto representa cerca de R$ 3.000.000,00 em contra partida que ela deveria dar por ter recibo tanto dinheiro. Sobre este ponto particular da ABETA remeto aos “Post’s” abaixo, porque aqui a reflexão é outra. Leia o resto deste artigo »

“Pizza”- Qual foi o Final do “Mensalão Mineiro” ?

6 de Outubro de 2009

Mudando um pouco o enfoque do Blog e mesmo a sua direção.Desta vez será eu quem irá requerer informação, porque não tenho mais notícia sobre este escândalo que me parece que envolveu entidades como o Instituto da Estrada Real, Rally da Independência e outras…alguem sabe em que pé que está isto ?
Mensa

Abaixo link para a matéria do “Estadão” explicando como foi este esquema de desvio de milhões em dinheiro público que eram destinados a associações. Por quê ninguém mais fala nisso? Será que foi verdade o que a imprensa divulgou? Quem tiver mais informações, agradeço.
http://www.estadao.com.br/especiais/o-mensalao-mineiro,4200.htm

“A Lógica”- “O Absurdo” e “A Legalidade”.

4 de Outubro de 2009

O que isto têm a ver com a ABETA e o turismo de aventura no Brasil? Muita coisa, inclusive quando nos deparamos com o relatório do TCU sobre os convênios iniciais da ABETA. A respeito dos convênios remeto o leitor aos outros “post’s” logo abaixo. braincodeE prosseguindo, podemos afirmar que partindo de premissas lógicas é que nasce a evolução progressiva de verdades, sendo o ilógico (absurdo) resultado da evolução regressiva de erros, fruto de premissas falsas. É lógico afirmar que o absurdo parte de premissas falsas. Como a norma jurídica regula o comportamento humano, sua lógica não comporta o absurdo, portanto, tudo aquilo que for ilógico é ilegal. E a “regulamentação” do “turismo de aventura” no Brasil, nasceu de uma premissa falsa, Leia o resto deste artigo »

“De Fato”-Conheça uma Ação Concreta pela Segurança.

1 de Outubro de 2009

As Clínicas de Formação de Instrutores da ABP é um exemplo concreto de organização e segurança esportivas.Durante 03 dias 11 especialistas em aspectos exclusivos da prática de parapente ministram aulas de aerologia, meteorologia, materiais, uso do espaço aéreo, primeiros socorros,didática de ensino em parapente, ética na prática de parapente, organização esportiva, responsabilidade civil, do consumidor e criminal na administração de entidades, ensino e prática do parapente, sistema de gestão esportiva da ABP, administração de clubes e muito mais. Este evento está em sua 14a edição,logo copy Leia o resto deste artigo »

“Corresponsabilidade”-Dos Associados.

1 de Outubro de 2009

Um ponto muito importante, principalmente para algumas associações ligadas ao parapente. É a da corresponsabilidade dos associados, nas consequência dos atos ilícitos, principalmente as decorrentes das ações de execução.Por isso, peço licença para, por enquanto, desviar um pouco do que vem sendo apresentado pelo Blog. O assunto é extenso e pretendo aqui apenas mostrar os seus contornos gerais.Em primeiro lugar vou dividir em 03 tipos básicos as responsabilidades e analisar superficialmente cada uma delas: resultante das relações do consumo, das civis e as criminais. Porquecorrente Leia o resto deste artigo »

“ABETA”- E o Tribunal de Contas da União-5-

1 de Outubro de 2009

O relatório que pode ser acessado pelo link do “post-1” desta sequência é bastante extenso.Por isto destaco um ponto que não passou despercebido pelo TCU:
(…)
“O simples fato de os normativos do SEBRAE não exigirem a especificação da origem dos recursos oferecidos em contrapartida por um partícipe não é justificativa para que sejam aceitos, como tal, recursos oriundos de outro convênio firmado. Não há razoabilidade alguma em se admitir que um convenente ofereça como contrapartida os recursos recebidos por força de outro convênio no qual também seja partícipe, recursos esses que deveriam ser aplicados nos objetivos ali comprometidos.
Também não pode prosperar o argumento de que se tratam de contrapartida econômica os recursos oriundos de outro convênio. Além do desvio de finalidade, isso significa,Lupa Leia o resto deste artigo »

“ABETA”-E o Tribunal de Contas da União-4-

30 de Setembro de 2009

Costumo atacar as idéias e não as pessoas.Por isso omitirei alguns nomes nos e-mails que apresentarei e que foram trocados no início da lista empresariosturismoaventura@yahoogrupos.com.br, que foi da onde nasceu a ABETA. Como sempre, recomendo que todos os “posts” desde o início deste blog sejam lidos para o entendimento mais claro do que estou apresentando. Principalmente os que tratam da posição oficial do Confef e Conferências Nacionais do Esporte sobre a questão do “turismo de aventura” e dos “esportes de aventura” e também o da definição oficial de esportes de aventura. Depois desta leitura fica claro que a premissa que norteou toda a certificação em “turismo de aventura” é falsa. Porque “turismo de aventura” é a atividade econômica que cerca as atividades esportivas de aventura. É certo que as técnicas, formação e equipamentos são esportivos. Ao mesmo tempo, desde o início, ficou claro pelos posicionamentos do representante do Ministério do Turismo na época, que o que estava por vir estava muito bem programado e precisava acontecer rápido. Evitando assimvergonha-300x225 Leia o resto deste artigo »

“ABETA” – E o Tribunal de Contas da União-3-

29 de Setembro de 2009

A ABETA gastou R$ 1.424.000,00 em serviços de consultoria.Conforme o relatório que pode ser acessado pelo link no “post” 1 sobre a ABETA. Em “Informações Complementares” , encontramos esta afirmação:
(…)
“INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES
Um ponto a ser trazido à análise, pela sua importância, refere-se à forma como foram previstos os custos do projeto a ser executado por meio do Convênio nº 380/2005.
1) a planilha de custos apresentada pela ABETA não discrimina de maneira pormenorizada os itens de despesa, o que não possibilita saber realmente do que se tratam. Como exemplo, podemos citar os itens aluguel de equipamentos e de instalações e aquisição de material de consumo. Não há nenhuma indicação de que equipamentos seriam alugados, o mesmo valendo para as instalações. Também não havia nenhuma definição de quais materiais de consumo seriam adquiridos;

(…)
5) mais da metade do custo total do projeto refere-se a serviços de consultoria (R$ 1.424.000,00/R$ 2.587.700,00). Não havia no projeto nenhuma definição clara dos produtos finais dessas consultorias, e muito menos da real necessidade do quantitativo previsto (17.800 horas);photo_file_128 Leia o resto deste artigo »

“R$ 15.000.000,oo”- Não são……

29 de Setembro de 2009

Quinze milhões não são o mesmo que 15 laranjas, 15 pizzas ou 15 Picaretas.É muito mais que o Ministério do Esporte destinou a todos os esportes não-Olímpicos; nesta categoria os de aventura. São aproximandamente R$ 150.000,00 por mês na mais básicas das aplicações. Leia o “post” sobre os números do esporte brasileiro e reflita se realmente existe alguma preocupação em fazer com que os recursos cheguem a quem deve chegar.
060929dinheiro_f_008

“ABETA”-E o Tribunal de Contas da União-2-

29 de Setembro de 2009

Não há nada demais as pessoas que comercializam atividades esportivas de aventura se reunirem numa associação.Problema existe quando esta associação passa a ser confundida com o “Poder Público” e fazer política pública como se “Estado” fosse. Os sócios de qualquer associação não podem se esquecer de que eles são corresponsáveis pelos caminhos que as suas diretorias decidem seguir, a ponto de responderem,até mesmo, com os seus bens pessoais. No meu entender o relatório do TCU sobre a ABETA é muito grave. Ele não deixa margem a dúvida sobre irregularidades graves, não há como saber quem recebeu o que, para fazer o que e a que custo. Fazer vários convênios, utilizando uma mesma contrapartida é falta grave, que nem mesmo a disposição do relator evitou de condenar esta conduta. Se for verdade que a ABETA recebeu R$15.000.000,00 da onde sairam R$3.000.000,00 de contrapartida ? Leia o resto deste artigo »

Parabéns ao Instrutor Benito de SJC.

28 de Setembro de 2009

Realmente eu tenho que elogiar o Benito da “Tribo do Voo”.A ABP conseguiu através dele participar de uma feira muito legal chamada “Ecoadventur”, que aconteceu em São José dos Campos-SP,, entre os dias 24 a 27 de setembro.25092009835 Leia o resto deste artigo »

“ABETA” – E o Tribunal de Contas da União-1-

28 de Setembro de 2009

Tem muita coisa em relação à política do Ministerio do Turismo para os esportes de aventura que não concordo. E não é só eu, para quem não sabe patrocínio ação judicial contra as normas “esportivas” criadas pela ABNT, para o “turismo de aventura”, em nome de quatro grandes entidades nacionais de administração esportiva do segmento esportivo de aventura. O assunto é muito extenso e para quem quiser se aprofundar, por favor leia os meus “post’s” desde o início e acompanhe os próximos, porque tratarei de muitas informações desconhecidas da maioria das pessoas do segmento. “Post’s” como o que eu tratei da definição de esportes de aventura, posição do “Confef” e os outros sobre esportes é de fundamental importância para entender o que estarei demonstrando neste Blog. Uma das informações desconhecidas da maioria das pessoas do segmento é a decisão do TCU sobre os convênios iniciais da ABETA. Para ter acesso ao relatório e decisão clique neste link
http://contas.tcu.gov.br/portaltextual/PesquisaFormulario
E em “Pesquisa livrecoloque: AC-0980-18/09-P
Você terá acesso a um extenso relatório(+- 22 laudas) que aponta muitas pontos que não podem passar despercebidos. Minha posição em relação a decisão do TCU colocarei em outros “Post’s”, porque é muita coisa para um só. Mas para quem quiser se adiantar leia o artigo 34 da Lei 10.934/04, ele é muito claro, qualquer um pode interpretá-lo sem dificuldade. Esta lei você encontra neste link:
http://www.leidireto.com.br/lei-10934.html
Aqui coleciono apenas alguns trechos do extenso relatório do TCU, que quem já lidou com convênios públicos saberá entender a sua profundidade:
“Tratam os autos de denúncia formulada ao Tribunal de Contas da União contra possíveis irregularidades no repasse de recursos do MTUR, mediante convênio, à Associação Brasileira das Empresas de Turismo de Aventura ABETA e ao Instituto de Hospitalidade – IH.

…Achado 1
Leia o resto deste artigo »

“Atualidade”- por Rui Barbosa.

25 de Setembro de 2009

Eu sou convicto de que nesta terra só muda a tecnologia do “palco”, enquanto que os “papéis” são sempre os mesmos. O difícil será aparecer outro “artista” para fazer o “papel” do Rui Barbosa. Esta sua frase é e será atual por muito tempo: “De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto.” (Senado Federal, RJ. Obras Completas, Rui Barbosa. v. 41, t. 3, 1914, p. 86)
rui_foto

“Política”-por Rui Barbosa.

23 de Setembro de 2009

Sim, o Brasil sempre teve grandes pesandores. E um dos maiores foi Rui Barbosa, para ele …”política é a arte de gerir o Estado segundo princípios definidos, regras morais, leis escritas e tradições respeitáveis. Politicalha é a indústria de explorar benefícios de interesse pessoal.”Sem comentários.
rui_foto

“CAB”-Conheça como esta Associação foi Concebida.

23 de Setembro de 2009

Quem não leu os dois “post” abaixo aconselho sua leitura para compreender melhor este aqui. E veja como as Cláusulas do Estatuto Social desta Associação se relacionam com o “RBHA140” e a “IAC 33115”-lembrando que estes foram atos administrativos emitidos pelo DAC e portanto deveriam respeitar todos os princípios que os regem.Principalmente os da “legalidade”, “impessoalidade”, “razobilidade” e “moralidade”.O estatuto social da CAB em seu Artigo 1º determina que somente participarão de seu quadro social aeroclube e clubes de aviação não comercial, entidades de âmbito nacional reconhecidas pelas autoridades brasileiras. O parágrafo segundo do Artigo 7º do estatuto social da CAB explicita que esta autoridade é a aeronáutica, exigindo cópia da autorização de funcionamento expedida pelo DAC.Aqui é que entra a “RBHA140”, lembrando que no antigo regulamento para o parapente “RBHA103-A”, constava de forma explicita que era obrigatória a sua adoção.
Eis o seu artigo 7:
Leia o resto deste artigo »

“IAC 3315”-Conheça este Absurdo.

22 de Setembro de 2009

É este o Título da Instrução de Aviação Civil 3315:“Normas Para Intervenção em Entidades Aerodesportivas”.De um lado o “RBHA140” “obrigava” que as associações dos esportes aéreos adotassem estatuto social que as subordinavam aos mandos do Departamento de Aerodeposto do DAC e do outro a “Instrução de Aviação Civil 3315” “permitia” que elas sofressem intervenção, caso não obedecessem o DAC. Flagrante inconstitucionalidade e a sua aplicação configura crime de abuso de autoridade. Chega a ser pitoresco o seu texto, o qual faço questão de anexar alguns exemplos:
II-Metodologia da Intervenção
(…)3- Em decorrência do ato de intervenção os membros do Quadro Administrativo serão imediatamente afastados . Esse ato designará o interventor que, a partir deste momento , assumirá a direção da entidade.”
“IV- Do Retorno á NormalidadeContos%20de%20espanto%20e%20alumb
Leia o resto deste artigo »

“RBHA 140”-Conheça este Absurdo.

22 de Setembro de 2009

O Departamento de Aerodesporto do extinto “DAC” foi pródigo em produzir atos que atentam contra o Estado Democrático de Direito.Por enquanto tratarei do “RBHA 140” , em sua versão original, e em breve analisarei outros do mesmo tipo. O Código Brasileiro de Aeronáutica diz que o “Regulamento Brasileiro de Homologação Aeronáutica” (RBHA) é destinado a regulamentar questões ligadas a formação de tripulação, manutenção de aeronaves e outros assuntos específicos da aviação comercial. Mas o “RBHA 140” diz respeito a um estatuto social que os aeroclubes e associações que cuidam de esportes aéreos estariam obrigados a adotar. E este estatuto subordinava diretamente a direção destas entidades ao Chefe do Departamento do Aerodesporto do DAC. Vejam estas disposições:
“140.63 – ESTATUTO DA ENTIDADE
(a) Compete ao D.A.C aprovar o estatuto de um Aeroclube ou Clube de Aviação e autorizar modificações nos mesmos.
(b) Com a finalidade de orientar as entidades no sentido de padronizar os direitos e deveres de seus associados, o D.A.C fornece modelo de estatuto que pode ser adotado por Aeroclubes e Clubes de Aviação.
(c) Os Aeroclubes podem apresentar projetos próprios de estatuto desde que contenham, compulsoriamente, os artigos contidos no apêndice A deste regulamento.
(d) Os Aeroclubes em funcionamento na data de publicação deste regulamento devem verificar se seus estatutos contêm os artigos requeridos pelo apêndice A deste regulamento. Caso não contenham, a entidade deve promover medidas para adequar seu estatuto às provisões desta seção.”

Uma parte bastante curiosa deste regulamento é aquela que trata do ingresso na Administração Pública Federal das diretorias das entidades quando adotassem o modelo de estatuto ou as cláusulas “obrigatórias”.Contos%20de%20espanto%20e%20alumb
Leia o resto deste artigo »

Direito Esportivo não é Exclusividade do Futebol.

22 de Setembro de 2009

Diversos mecanismos que existem na legislação esportiva brasileira servem para todas as modalidades esportivas. Infelizmente os conceitos e mecanismos disciplinados pelo Direito Esportivo brasileiro são desconhecidos, assim como a Justiça Desportiva e suas duríssimas punições, o Princípio Constitucional da Autonomia da Administração Esportiva que veda a interferência do Estado em todos os assuntos desportivos e o poder/direito/dever das Entidades Nacionais de Administração Esportiva de ditar as normas que irão reger os seus respectivos esportes. Um dos problemas do esporte no Brasil é que ele foi regido de 1941 a 1988 por uma legislação fortemente intervencionista, onde o Estado se fazia presente em todos os assuntos que lhe dizem respeito.Nosso primeiro ato regulatório esportivo nasceu na ditadura de Getulio Vargas em 1941, que copiou a legislação fascista que vigia na Itália, absolutamente intervencionista, como é natural a todo regime de exceção.justica[8] Leia o resto deste artigo »

Mais uma Grande Distorção no Esporte Brasileiro.

21 de Setembro de 2009

Hoje no Brasil praticar montanhismo (e esportes de aventura em geral) se transformou em atividade turística.
Se você não leu seria interessante ler dois “post” inciais que estão logo abaixo. Um que fala da definição de esportes de aventura e radicais e outro sobre a posição do Confef e Conferências Nacionais do Esporte sobre os esportes de aventura e turismo de aventura.Esta não deixa margem à dúvida sobre a finalidade e notoriedade concludente de que atividades comercializadas no chamado turismo de aventura nada mais são do que atividades esportivas.the-distortion-of-the-muse-darwin-leon Leia o resto deste artigo »

Vídeos da “Loira” no “Kórgo”

21 de Setembro de 2009

Ao todo fiz 03 videos da “Loira” que estão no youtube – seguem os links

Festa do Parapente em “Kórgo” e como sempre a “Loira” estava presente.

21 de Setembro de 2009

Esta foi a sétima edição de um dos eventos mais legais do parapente. Realmente “Kórgo” é muito legal,a galera mais legal ainda e a festa (como sempre) muito bem organizada.
Uma coisa é certa, Córrego do Bom Jesus-MG, “Kórgo” para os íntimos é um lugar especial. Os voadores locais são muito legais e têm um monte deles. Acho que não existe outra cidade tão pequena com tantos praticantes. Decolagens para todo lado. Tudo muito legal, só o pouso que exige um pouco de cuidado.
E como sempre a “Loira” mais famosa do parapente brasileiro deu seu show a parte.
Um grande abraço aos irmãos do “Kórgo” e Cambuí e parabens pela festa!!

20092009819

Vídeo da Nova Rampa Oeste de “Kórgo”

21 de Setembro de 2009

Parece incrível, mas hoje foi a primeira vez que se decolou do morro que fica a esquerda do pouso em “Kórgo” do Bom Jesus-MG.
E eu tive imenso prazer em ser um dos primeiros a voar de lá. Rampa excelente, enorme, com inclinação perfeita, simplesmente demais !!!!!
Veja o filme que eu fiz assim que cheguei.

Parabéns ao Instrutor Anderson de Córrego de Bom Jesus-MG

21 de Setembro de 2009

Para quem mora na região e quer iniciar no esporte vai aí a indicação
Este é um exemplo de pessoa dedicada e que investe na formação dos seus alunos. Além de ter reformado as instalações da escola, fez uma loja muito legal. Parabens Anderson!!!!
O telefone dele é 35-8831 1620
Lembrando que curso de parapente somente com instrutor da ABP. A ABP é a única entidade nacional que tem critérios sérios na homologação dos instrutores de parapente. http://www.abp.esp.br
Fotos da sala de aula.
20092009809

“O Mercado do Juca”

19 de Setembro de 2009

Esta é especifica para o pessoal do parapente.
Caros.
Para quem não conhece o Garoto Juca de Sta Rita do Sapucaí, que também se chama “Gustavo”, é um grande amigo, apoiador da ABP e recentemente criou um site para comercializar equipamentos para o voo livre. Na minha opinião o nome mais adequado seria “O Mercado do Juca”, mas de qualquer forma fica a minha indicação para o “Mercado Voo Livre”. O cara é sério, compromissado e completamente fissurado no parapente. Quem quiser propor a ele espandir o site para equipamentos de outros esportes de aventura o email do cabra é gustavo@mercadovoolivre.com.br
Claudio Consolo
Mercado 01

Conhecendo o$ Numero$ do Esporte Brasileiro.

19 de Setembro de 2009

O Cruz em seu Blog coleciona números surpreendentes no esporte brasileiro.
“R$ 2.016.231.078,03 é o total de repasses das loterias da Caixa ao esporte, entre 2003 e julho de 2009.”
Some a isso os investimentos das estatais Banco do Brasil, da própria Caixa, Correios, Infraero, Eletrobras e Petrobras e é fácil perceber que $$$ não parece ser o problema do esporte no Brasil. Me pergunto quanto Cuba arrecadou e gastou no mesmo período? Nestes 07 anos o Comitê Olímpico recebeu R$ 509.000.000,00 e o Comitê Paraolímpico R$ 91.500.000,00. Realmente são casas e mais casas depois da vírgula. Seria interessante contrastar os números de medalhas, recordes e títulos conquistadas nos eventos Olímpicos do período com os dos esportes não-Olímpicos, para se ter uma idéia da relação custo benefício entre os dois segmentos esportivos. Porque duvido que no mesmo período chegou a casa do milhão o $$ destinado a todas as modalidades não Olímpicas. Não estou criticando os atletas Olímpicos,mas sim a forma com que este dinheiro foi gasto, porque sabemos que se realmente tivesse chegado ao seu destino, não haveria tanta reclamação por parte deles.money_management Leia o resto deste artigo »

Você conhece os posicionamentos do Confef e Conferências Nacionais do Esporte sobre o esportes de aventura e turismo de aventura ?

18 de Setembro de 2009

Em breve postarei mais informações sobre esportes de aventura/turismo de aventura e as distorções protagonizadas pelo Ministério do Turismo. Mas antes é preciso conhecer as posições do Conselho Federal de Educação Física-CONFEF e das Conferências Nacionais do Esporte sobre o assunto.
Principais pontos da Posição do Confef:
“Cabe ressaltar que as normas de segurança, tanto do esporte em si como do material e equipamentos utilizados na sua prática, deva ser de competência das entidades representantes das respectivas manifestações do esporte de aventura. “
“Evidentemente, o esporte radical, o esporte na natureza e/ou o esporte de aventura faz, devido à própria arquitetura que possui, com que gravitem em seu entorno outras fontes de renda, tais como a necessidade de hospedagens, de alimentação (restaurantes e bares), de transporte, de trilhas, de materiais e utensílios para sua prática que não estão diretamente vinculados ao esporte, mas que necessitam de regulamentação, visando que se estabeleça minimamente a qualidade dos serviços e a segurança dos praticantes.”
Conferência Nacional do Espote:
A moção de apoio da II Conferência Nacional do Esporte, não deixa margem à dúvida sobre a finalidade e notoriedade concludente de que atividades comercializadas no chamado turismo de aventura nada mais são do que atividades esportivas:
“Os delegados da II Conferência Nacional do Esporte reconhecem que as atividades e técnicas vinculadas à prática dos esportes de aventura são eminentemente esportivas, integrando, portanto o conjunto de manifestações que constituem o Sistema Nacional do Esporte e Lazer e a Política Nacional do Esporte.”
No chamado “turismo de aventura”, È FATO NOTÒRIO que as técnicas, formação pessoal, equipamentos e a atividade em si SÃO ESPORTIVAS, podendo a locução adjetiva “turismo de aventura” se referir tão somente à economia que pode ser gerada pela prática das modalidades esportivas formais de aventura a título de lazer.
A NOTORIEDADE deste FATO levou a I I Conferência Nacional do Esporte, produzir a seguinte resolução referente ao Sistema Nacional do Esporte o qual as entidades nacionais de administração esportiva fazem parte:
“Os recursos humanos do Sistema Nacional de Esporte e Lazer, com caráter multiprofissional e multidisciplinar, constituem-se de todas as pessoas que atuam no planejamento, organização, coordenação, fomento, incentivo, mobilização, dinamização, promoção e implementação das atividades físicas, esportivas e de lazer, inclusas as oferecidas pelos esportes de aventura no chamado turismo de aventura, respeitando-se as características específicas de cada área de atuação.”
A clareza destas conclusões é consubstanciada não somente na realidade, mas também, como nos proximos dias esclarecerei, na legislação esportiva pátria, pois seria absurdo afirmar que a técnica, formação pessoal e equipamentos esportivos utilizados, por exemplo: num salto duplo gratuito com pará-quedas é diferente, quando, há efetiva cobrança por parte do para-quedista que está operacionalizando o salto.
Acredito que é fácil começar a vislumbrar porque o resultado da “política” do Ministério do Turismo está sendo alvo de ação judicial por parte de 04 das principais entidades nacionais do segmento esportivo de aventura.
Mas vamos aos poucos, aguardem as novidades!
Tem muita coisa que ninguem sabe e é bom começar a ficar sabendo.
Em breve !

salvation

Você conhece Kite Buggy ?

18 de Setembro de 2009

Este é um “brinquedo” muito legal, que exige muita atenção como qualquer outro quando se trata de esporte de risco.
Apesar de parecer igual a do “Kite Surf”, a vela que impulsiona o “Kite Buggy” é bem diferente e própria para impulsionar qualquer coisa que possa ser tracionada fora da água, em terrenos adequados. Um ponto interessante que não pode ser desprezado é que como as linhas são muito compridas e finas a exemplo do “Parapente”, é preciso tomar muito cuidado com as pessoas ao redor. Portanto, o “Kite Buggy” deve ser praticado somente em praias desertas, o risco de se atingir um banhista com as linhas é grande, lembrando que é muito fácil atingir 60Km/h com o brinquedo. Em breve colocarei uma entrevista com uns amigos que foram de Torres(RS) ao Chuí(RS) com o “brinquedo”, percorrendo mais de 750 Km ! Mais informações acessem:

Você sabia que os esportes de aventura e radical possuem definição?

18 de Setembro de 2009

Participei da Comissão Especial de Esportes de Aventura do Ministério do Esporte que teve como finalidade criar a definição de esportes de aventura e radical. Este foi o resultado do trabalho:

“RESOLUÇÃO Nº 18, DE 9 DE ABRIL DE 2007

Recomenda a adoção dos conceitos de esporte de aventura e esporte radical.

O MINISTRO DE ESTADO DO ESPORTE E PRESIDENTE

DO CONSELHO NACIONAL DO ESPORTE, no uso de suas atribuições, considerando a competência do Conselho Nacional do Esporte – CNE, em emitir pareceres e recomendações sobre questões desportivas nacionais, assim definidas no inciso III do art. 11, da Lei nº 9.615, de 24 de março de 1998 e suas alterações;considerando a reivindicação do segmento esportiva transcrita no documento “Esporte de Aventura – Carta de São Paulo”, de 25 de agosto de 2005, de emanar de uma comissão de esporte de aventura no âmbito do Conselho Nacional do Esporte uma proposta de conceituação do esporte de aventura, que estimule a sua organização e o seu desenvolvimento no País;considerando a proposta apresentada pela Comissão de Esporte de Aventura, instituída nos termos da Resolução nº 15, de 19 de setembro de 2006; econsiderando o que decidiu o Plenário do CNE na 14a Reunião Ordinária realizada dia 09 de abril de 2007; recomenda:

Art. 1º Que se identifique no País como:

I – Esporte de aventura: O conjunto de práticas esportivas formais e não formais, vivenciadas em interação com a natureza, a partir de sensações e de emoções, sob condições de incerteza em relação ao meio e de risco calculado. Realizadas em ambientes naturais (ar, água, neve, gelo e terra), como exploração das possibilidades da condição humana, em resposta aos desafios desses ambientes, quer seja em manifestações educacionais, de lazer e de rendimento, sob controle das condições de uso dos equipamentos, da formação de recursos humanos e comprometidos com a sustentabilidade sócio-ambiental.

II – Esporte radical: O conjunto de práticas esportivas formais e não formais, vivenciadas a partir de sensações e de emoções, sob condições de risco calculado. Realizadas em manobras arrojadas e controladas, como superação de habilidades de desafio extremo.

Desenvolvidas em ambientes controlados, podendo ser artificiais, quer seja em manifestações educacionais, de lazer e de rendimento, sob controle das condições de uso dos equipamentos, da formação de recursos humanos e comprometidos com a sustentabilidade sócio-ambiental.

Art. 2º Esta Resolução entrará em vigor na data de sua

publicação.

ORLANDO SILVA”

imagens-de-paisagens-em-papel-de-parede

Acesse o resto do Blog- Tem muita informação sobre esportes de aventura. https://cconsolo.wordpress.com -Divulgue este Blog entre quem gosta de esporte de aventura e é ligado a Educação Física.

A propriedade de nenhuma imagem apresentada está reivindicada, caso não esteja prontamente identificada sua origem, ou em caso específico. Todo material identificado como possuidor de direitos autorais pertence aos seus respectivos proprietários. Se você possui os direitos de quaisquer imagens e não deseja que sejam exibidas, entre em contato por e-mail e todas serão prontamente removidas.

Claims no credit for any pictures featured in this website, if their source are not specified or in any particular case. All visual content is copyrighted to it’s respectful owners. If you own rights to any of the images, and do not wish them to appear in this site, contact us by mail and they will be promptly removed.